29 de dez de 2016

DOCUMENTOS SECRETOS DOS EUA REVELAM PLANOS PARA BOMBARDEAR CUBA

#YOSOYFIDEL

Histórias não contadas sobre as pretensões imperiais dos Estados Unidos contra Cuba saem pouco a pouco de seus arquivos secretos e dão a razão para os líderes cubanos que sempre denunciaram o interesse do Norte em apoderar-se da ilha a qualquer preço. 


Documentos desclassificados permitem comprovar como Henry Kissinger, secretário de Estado, ordenou em 1976 a preparação de planos para executar bombardeios aéreos contra Cuba, por não aceitar que ela ajudasse a República de Angola a repelir a invasão da República da África do Sul com o apoio da Estados Unidos.

Estes documentos mostram o caráter imperial de Washington ao considerar-se com o direito de invadir e declarar guerra contra países que não têm governos aceitáveis ​​por eles, destaque nas últimas décadas no Iraque, Afeganistão, Líbia, Iêmen e Síria. No século XX eles fizeram isso contra o Irã, República Dominicana, Guatemala, Panamá e Granada.

Para a Casa Branca era inaceitável essa solidariedade cubana que ameaçava seus planos para manter o Apartheid.

A arrogância dos Estados Unidos é tal que Kissinger ordenou preparar o plano de agressão contra portos e instalações militares cubanas e enviar batalhões de marines para a sua base naval em Guantánamo, para "esmagar os cubanos e não dar a impressão de que Washington parecesse fraca, se não enfrentasse o regime comunista."

Os documentos permitem conhecer como Kissinger expulsou o presidente Gerard Ford: "mais cedo ou mais tarde vamos ter que golpear os cubanos", como se as vidas das pessoas fossem simples cartas de baralho.

Embora Kissinger tenha tentado entre 1973 e 1977 levar a cabo uma mudança da fracassada política ianque em relação a Cuba, a solidariedade cubana com Angola foi vista como insulto e, portanto, recomendou o ataque à ilha, algo que não ocorreu após a vitória do Partido Democrata com o candidato James Carter.
Não podemos esquecer que, em 1976, Orlando Bosch e Luis Posada Carriles, ambos cubanos e antigos laços da CIA, organizam a explosão de um avião civil cubano, e anos mais tarde eles foram recebidos como heróis em Miami, refletindo a falta de princípios estadunidense.

O próprio Departamento de Justiça e o Boro Federal de Investigação, em Miami, expressaram em um memorando que:

"Em Junho de 1974 Orlando Bosch admitiu ter enviado pacotes de bombas às embaixadas de Cuba, em Lima, Peru; Madrid Espanha; Ottawa, Canadá e Buenos Aires, Argentina."

Em 1976 executaram atos terroristas contra embaixadas de Cuba na Espanha, Nova Iorque, Argentina, Portugal, e assassinaram vários diplomatas cubanos.

Esses atos não foram punidos pelos Estados Unidos, nem o então Secretário de Estado propôs a prisão dos terroristas, que desde 1975 também explodiram bombas em restaurantes, escritórios comerciais, no aeroporto Miami, no Departamento de Correio de Riverdale e Tamiami, em Miami, nos escritórios do Seguro Social, em ponte Flagre, e em Barnet Bank, no Departamento de Justiça e no próprio Quartel-general da Polícia de Miami.

A lista de atos de terrorismo cometidos por organizações contra a Revolução, entre 1975 e 1983 é bastante longa, devido a fato deles se oporem a qualquer mudança de política da Revolução Cubana.

Posição semelhante adotam hoje os congressistas Ileana Ros-Lehtinen e Mario Díaz-Balart, que apoiaram Bosch e Posada, e seguem desenhando atos de provocação, como fizeram com os aviões de Irmãos ao Resgate, para impedir que o presidente W. Clinton, levantasse o bloqueio econômico, comercial e financeiro contra Cuba e diante do temor que outro presidente o faça, aprovaram a Lei Helms-Burton que o codificou.

Relacionado com a política dos Estados Unidos contra Cuba somam milhares de memorandos, e em alguns dados conhecidos recentemente, se pode ler a tentativa oficial para descongelar as relações diplomáticas realizadas por Carter em 1978.

Este texto permite saber a versão oficial do que aconteceu quando Carter aprovou a visita a Havana, de um grupo de empresários estadunidenses de origem cubana, para abrir um diálogo com Fidel Castro, mas sempre com a segunda intenção de fazer Cuba abandonar o sistema socialista.

Nesta realidade, o atual prefeito de Miami, Tomás Regalado, que então era jornalista de rádio, declarou:

"Se bem com a gestão de Carter foram abertas as viagens de turismo comunitário (pela primeira vez em 20 anos as famílias de ambos os lados se encontraram novamente) e, além disso, uma grande anistia para presos políticos foi alcançada, a aproximação não obteve os resultados desejados ".

O erro sustentado pelos Estados Unidos é a sua obstinação para ver Cuba submetida aos seus desígnios, sem respeitar sua soberania e independência, algo que não poderão saborear, porque os cubanos têm muita dignidade e aprenderam a lutar pelos seus direitos.

Ao comprovar que suas medidas de mudança de políticas não deram os resultados desejados, Carter reforçou as medidas de perseguição, como o estimulo das imigrações ilegais.

A prova mais evidência foi o estímulo às entradas pela força nas sedes diplomáticas em Havana, cujo ápice foram os eventos da embaixada do Peru, ao prestar os peruanos a esse jogo sujo que terminou com a abertura do porto cubano de Mariel, túmulo do presidente Carter para sua reeleição.

Sem rodeios, Tomas Regalado apenas afirmou:

"É o mesmo que está acontecendo agora, com a diferença de que naquele momento conseguiram libertar presos políticos. A história se repete. O regime de Havana voltará a sabotar uma reaproximação. "

Sabotar a reaproximação? Parece que o prefeito de Miami acredita que as pessoas não sabem analisar os fatos.

Os que sabotam a aproximação são seus conterrâneos que não aceitam as relações entre os dois países sem que Cuba abandone o seu sistema, e os cubanos radicados na Flórida, que expressam o desejo de eliminar a política anti-cubana, a máfia que executa atos terroristas, como o sofrido pelo fabricante de charutos José Orlando Padrón, que viajou a Cuba em 1978, para conversações com Fidel Castro.

Ao voltar para Miami, ele e sua empresa sobreviveram a cinco bombas e tem documentado que o responsável por esses atos, que quase lhe custaram a vida, foi o grupo terrorista anti-Castro Omega 7, liderado por Orlando Bosch.

Isso é parte da história que está se tornando conhecida, como disse José Martí: "Os fatos reais são os fatos".

Por Arthur González: Cubano e especialista em relações Cuba-EUA, editor do Blog El Heraldo Cubano.
Fonte original deste artigo é Global Research
Copyright © Arthur Gonzalez, Global Research, 2016

                                                                 VENCEREMOS !!!

MIGUEL BARNET: FIDEL MOSTROU QUE FOI, É E SERÁ SEMPRE UM HOMEM GENEROSO, UM LUTADOR INVENCÍVEL, UM ILUMINADO


Fidel recebe Miguel Barnet em sua casa.
Intervenção de Miguel Barnet, presidente da UNEAC, após discurso pronunciado por Raúl Castro no encerramento da Oitava Sessão Ordinária da Assembleia Nacional do Poder Popular

Querido companheiro General de Exército Raúl Castro; Querido companheiro Esteban Lazo, presidente da Assembléia:

Esta não é uma lei que apoiamos formalmente. Eu sinto que este é um abraço que estamos dando a Fidel sentindo palpitar seu coração e o nosso e respeitando a sua generosa vontade.

Com toda convicção ratifico as brilhantes e emotivas palavras de Eusebio, e tenho certeza de que é o sentimento também dos escritores e artistas cubanos.

Na verdade, o nosso Comandante em Chefe não poderia agir de forma mais coerente com seus princípios martianos do que com esta sua última vontade. Não é apenas um ato de extrema e profunda modéstia, mas de uma lucidez extraordinária. Tudo o que fez foi entregar-se ao seu povo com o humanismo que tem caracterizado esta revolução e ele que foi o seu maior exemplo. Não esperávamos outra conduta que essa, que não é nada mais do que uma demonstração que desmente aqueles que algumas vezes atribuíram ao nosso líder e a Revolução Cubana um culto à personalidade.

Mais uma vez, e em seus últimos momentos, Fidel mostrou que foi, é e será sempre um homem generoso, um lutador invencível, um iluminado.

Portanto, não vamos transformá-lo em pedra ou bronze. Não vamos esquecê-lo nunca. Não esqueceremos aquele que no momento mais difícil, no mais terrível momento do nosso período especial disse em um congresso da União de Escritores e Artistas de Cuba: "A cultura é a primeira que há que ser salva." Salvemo-lo para sempre, para o futuro.

Obrigado (Aplausos). (Granma)

Fonte:  Siempre con Cuba

                                                                                 VENCEREMOS !!! 

28 de dez de 2016

TODA A GLÓRIA DO MUNDO CABE EM UM GRÃO DE MILHO



Na fundamentação do projeto de lei para o uso do nome e a figura do Comandante em Chefe Fidel Castro Ruz se fez alusão a fato de que nós cubanos temos chamado muitas das nossas praças, ruas e locais, em honra dos grandes homens da pátria, como justo reconhecimento às suas vidas, pelo que, em cada um de nós pudesse estar latente o sentimento e a convicção de que Fidel mereceria, sem dúvida, essas formas tradicionais de homenagem, ou até mesmo superiores, para perpetuar a sua memória. Contudo, argumentou o secretário do Conselho de Estado, apenas o respeito sagrado à sua vontade, expressão da humildade e modéstia que lhe caracterizaram, e o ter feito sempre honra à pregação martiana de que toda a glória do mundo cabe em um grão de milho, leva-nos a assumir um texto legal de tal natureza. #Cuba #Fidel

Fonte: G Granma

                                                                VENCEREMOS !!!

O MONUMENTO A FIDEL #YOSOYFIDEL

 

 Desde a lamentável noite de 25 de Novembro, quando de repente a notícia da partida física do líder da Revolução Cubana paralisou toda a nação, Cuba inteira começou a levantar em sua mente, em seu coração e sua alma, o seu próprio monumento Fidel.

Dias depois, diante da multidão reunida na Praça Antonio Maceo, em Santiago de Cuba, o presidente Raúl Castro explicou que Fidel insistiu que, uma vez falecido, não lhe ergam monumentos, bustos ou estátuas; nem deem seu nome à praças, ruas, instituições ou edifícios públicos em sua memória.

Como você é grande Fidel! Você pensou em tudo e em todos; e encontraste o momento oportuno para alertar a teu povo com esta nova lição de simplicidade e modéstia.

Sabes bem que não precisas de bustos ou estátuas para recolher a colheita que semeaste em terra fértil. Você é a nossa música, nossa escola, nossa rua e nossa praça. Não precisarás de monumentos públicos em Cuba porque a tua obra é imperecível para teu país e para o mundo, nós mesmos somos teu povo em Revolução.

Nenhuma escola levará teu nome, mas as crianças e os jovens continuaram estudando graças ao projeto educacional que forjaste; tampouco nomearemos parques ou praças, mas ali as pessoas continuaram a desfrutar da liberdade que conquistaste.

Não haverá rua com o teu nome dele, mas que os cubanos as transitem com a convicção de que cada uma delas é a mais segura e mais tranquila do mundo.

Não haverá monumento erguido em sua memória, porque Fidel não necessita, já o tem. Fidel estará presente em cada centro escolar, cultural, de saúde, esportes ou ciência que edificam a Revolução para todos os cubanos.

Mantê-lo vivo e eterno em seu pensamento será o maior monumento que podemos construir. E seu humilde pedido ao povo que lhe ama, simboliza a grandeza do homem único e irrepetível que é.

Não haveria monumento possível que possa representar seu significado histórico, exceto construir com nossos próprios esforços a Pátria Socialista próspera e sustentável.

Como explicou Raúl, corresponde ao Parlamento analisar as propostas legislativas necessárias para cumprir a última vontade de Fidel. Ele morreu como viveu, com dignidade e decoro, com absoluta coerência em suas ideias e ações.

Agora suas cinzas descansam no coração de uma rocha, onde apenas se leem as cinco letras do seu nome, sem data de nascimento, tampouco de falecimento. A pedra em Santa Ifigênia irradia austeridade.

Preservando e multiplicando seu legado construiremos o Monumento com o qual seguirá sentindo orgulho de seu povo, porque ele foi incansável em afirmar que "toda a glória do mundo cabe em um grão de milho."

Com sua última vontade Fidel nos convoca ao essencial, para continuar a germinar a semente depositada por ele nas novas gerações e nos cubanos que estão por nascer.

Fidel jamais será mármore, ou nome de entidade. Fidel é um homem que se fez povo, se converteu em milhões e como inigualável piloto seguirá andando em frente a esta firme e sólida caravana que é Cuba.

Publicado em 26 de dezembro de 2016 por: web@radiorebelde.icrt.cu / Angelica López Paredes

  
                                                                                 VENCEREMOS !!!

APROVADO PELO PARLAMENTO CUBANO PROJETO DE LEI SOBRE O USO DO NOME E DA FIGURA DO COMANDANTE EM CHEFE FIDEL CASTRO RUZ

 

Nesta terça-feira 27 de dezembro de 2016 foi aberta a última sessão anual da Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba, pela primeira vez em 40 anos sem a presença de Fidel Castro, mas mantendo sua cadeira vazia ao lado da de Raul Castro (foto)

O Presidente do Parlamento, Esteban Lazo abriu mão do clássico minuto de silêncio em homenagem a Fidel e propôs que em seu lugar cada um dos presentes meditasse e fizesse como seu o conceito de Revolução, testamento político do Comandante e a melhor maneira de não deixá-lo morrer.

Homero Acosta, secretário do Conselho de Estado, apresentou às deputadas e deputados o projeto de lei sobre o uso do nome e da figura do Comandante em Chefe Fidel Castro Ruz, atendendo à vontade do líder histórico da Revolução cubana conforme informou o General de Exército Raúl Castro Ruz no ato político em sua homenagem realizado na Plaza Mayor Antonio Maceo Grajales de Santiago de Cuba. Naquele 3 de dezembro, Raul declarou que era seu desejo " que uma vez falecido, seu nome e sua figura nunca fossem utilizados para nomear instituições, praças, parques, avenidas, ruas e outros lugares públicos nem erigidos em sua memória monumentos, bustos, estátuas e outras formas similares de tributos".
O referido projeto de lei, após ser debatido, foi aprovado por todos os presentes.

A melhor homenagem que se pode fazer a Fidel é seguir defendendo a Revolução.

O debate e a nova lei completos, aqui:

http://www.cubadebate.cu/noticias/2016/12/27/presentan-proyecto-de-ley-sobre-el-uso-del-nombre-y-la-figura-del-companero-fidel-castro-ruz/#.WGOz9VMrLIV

                                                                 VENCEREMOS !!!

MADURO PEDE A OBAMA A LIBERDADE DE OSCAR LÓPEZ RIVERA

#YoSoyFidel


Caracas - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu a seu homólogo Barack Obama a liberdade do lutador independendista porto-riquenho Oscar López Rivera, preso nos Estados Unidos há 35 anos.

O Chefe de Estado expôs seu pedido na noite de segunda-feira no programa "La hora de la Salsa", transmitido pela Rádio Miraflores.

"Presidente Barack Obama, por favor, escute o clamor da América Latina, do Caribe, de todo o Porto Rico, das pessoas nobres e honestas. Por favor, antes de ir embora, assine a liberdade de Oscar López Rivera (...) Oscar López Rivera merece a liberdade", declarou.

"Mais cedo ou mais tarde chegará o dia em que te abraçaremos. Livre, em Porto Rico, livre na Venezuela, livre na nossa América. Façamos esforço pela liberdade de Oscar López Rivera" , disse ao se referir ao detido.

Publicado em 27 de dezembro de 2016 por Siempre con Cuba - https://siempreconcuba.wordpress.com

                                                                                 VENCEREMOS !!!

24 de dez de 2016

OSCAR LÓPEZ RIVERA REFLETE SOBRE SUA SENTENÇA

Recorda o caso de cinco separatistas croatas que cumpriram menos tempo de prisão que ele.

Quando se debate a desproporção da sentença que está cumprindo, Oscar López Rivera recorda o caso de cinco independentistas croatas que colocaram uma bomba na Estação Grand Central em Nova York, que causou uma morte e um ferido, e sequestraram um avião e com destino a Chicago.

Assista o vídeo em http://www.elnuevodia.com/…/oscarlopezreflexionasobresusen…/

Lopez Rivera, que foi condenado por conspiração sediciosa e não foi acusado de causar dano a ninguém, já cumpriu 35 anos e seis meses nas prisões dos EUA por causa de suas ligações com o grupo clandestino Forças Armadas de Libertação Nacional (FALN).

Neste momento em que o presidente Barack Obama tem apenas 26 dias na Casa Branca, López Rivera ainda espera resposta ao seu pedido de clemência.

Dos cinco independentistas croatas, o tempo mais longo foi cumprido por Zvonko Busic, que esteve 32 anos na prisão. Já em liberdade, Busic cometeu suicídio em 2013.

A esposa de Busic, Julienne, cumpriu13 anos de prisão. Outro dos condenados, Frane Pesut, passou 12 anos na prisão.

Comunista

Em uma recente entrevista com o El Nuevo Dia, López Rivera considerou que nenhum cumpriu mais anos de prisão que ele, porque seus atos foram contra uma "Iugoslávia comunista".

Ele comentou que, inclusive "o juiz que me condenou disse que esperava que eu morresse na prisão."

Anteriormente, esse mesmo juiz condenou a outros militantes da FALN e havia dito que "se pudesse os condenaria à morte", acrescentou López Rivera. Esses comentários, disse López Rivera, "foram o suficiente para forçar a sua inibição".

O grupo de separatistas croatas sequestrou em 1976 o voo 355 da TWA 355 entre o aeroporto LaGuardia, em Nova Iorque e o Aeroporto Internacional O'Hare, em Chicago.

Ao anunciar o sequestro, o grupo anunciou que tinha uma bomba no avião e uma na Estação Grand Central. A suposta bomba que estaria no avião não passou de invenção e ainda alertaram sobre o artefato no famoso terminal de Nova York, um policial foi morto e outro ficou ferido tentando desativá-la.

Nos últimos dias, o ex-presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, enviou uma carta a Obama para solicitar-lhe oficialmente que liberte López Rivera, que completará 74 anos em 6 de janeiro.
  
Fonte: ELNUEVODIA.COM

                                                                                 VENCEREMOS !!!

23 de dez de 2016

CONSTRUIR A REFORMA AGRÁRIA POPULAR !!

 
 
                                                                  VENCEREMOS !!!

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE ANA BELÉM MONTES



Companheir@s

Gostaria de enviar-lhes uma informação com relação a Ana Belém.

Em várias ocasiões temos dito que há algum tempo um companheiro solidário publicou nas redes uma entrevista fictícia de Ana que tem sido repetida muitas vezes em partes dando-a como verdadeira. A última vez foi há poucos dias na Telesur e Granma Internacional onde refletiram a chamada feita por René González para neutralizar a campanha que começou a embaixadora dos EUA na ONU, Samantha Power,  pedindo a libertação dos presos políticos em 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Rene apresentou uma relação de prisioneiros nos EUA para serem pedidos onde se incluía Ana, e a Telesur fez um resumo das histórias de cada um e no caso de Ana Belén incluiu partes desta entrevista fictícia. Baseado nisso queria trazê-los o que a advogada de Ana nos escreveu que devemos levar em consideração e trabalhar para divulgar o fictício desta entrevista onde quer que nos apareça. Ela escreveu:

Meus mais sinceros agradecimentos para todos os seus esforços.

No entanto, me vejo obrigada a corrigir um erro de boa fé, mas significativo, no artigo que circula sobre os presos políticos relacionados com o gesto da Sra. Power..

As condições de Ana Belén Montes proíbem qualquer entrevista ou comunicação com terceiros, direta ou indiretamente, sem a aprovação prévia do Departamento de Justiça, a qual nunca foi dada.

Entendo, em parte por essa razão, que pessoas solidárias têm escrito ficções como se fossem escritos dela, tomando liberdades artísticas para relatar como Ana, escrevendo a partir de sua perspectiva.

Para obter êxito poderiam ser como obras de arte, na conjuntura atual, podem causar sérios danos.

Lhes rogo encarecidamente remover qualquer referência a uma suposta entrevista e/ou palavras atribuídas a ela que não sejam as de seu discurso no tribunal em 2002.

Qualquer dúvida, não tenha medo de entrar em contato comigo.

Mais uma vez, os meus agradecimentos pelo empenho em promover as causas nobres.

Linda Backiel

Advogada de Ana Belén Montes

Claro que lhe esclarecemos que esta informação não veio de nós, mas devemos ter cuidado com que o reproduzimos para evitarmos cair nestes erros.

Muitas felicidades para todos e nos vemos em janeiro. Seguimos em combate.

 

Fonte: E-mail [Cincoheroes]

                                                                                  VENCEREMOS !!!

22 de dez de 2016

SIM, SE PODE !! EM 22 DE DEZEMBRO DE 1961 CUBA É DECLARADA TERRITÓRIO LIVRE DO ANALFABETISMO !!



Mulheres desfilam com livros e cadernos em comemoração ao fim do analfabetismo em Cuba, 1961.

Em 1960 o governo cubano lançou a Campanha Nacional de Alfabetização em Cuba, visando reduzir e acabar com o analfabetismo. No dia 22 de Dezembro de 1961 Cuba se tornou território livre do analfabetismo. Houve grande festa e desfiles em comemoração a essa conquista em todo o país.

Cuba foi o primeiro território livre de analfabetismo na América Latina.



                                                                  VENCEREMOS !!!

HOJE É O DIA DO EDUCADOR EM CUBA !

#PeloFimDoBloqueio #YoSoyFidel
#SolidaridadVsBloqueo #CubaEsNuestra



Há 55 anos atrás, em 22 de dezembro de 1961 Cuba declarou ser um país livre do analfabetismo. Esta tarefa foi realizada pelos educadores e alfabetizadores cubanos no curto período de um ano. Até ali, um em cada quatro cubanos não sabia ler e escrever. Ser culto para ser livre era um dos ensinamentos de José Martí. Fidel o fez realidade, tirando um povo inteiro da ignorância e levando a luz do conhecimento.

Parabéns ao povo cubano e a seu eterno Comandante .
#YoSoyFidel

"...Confessamos que entre as obras da Revolução nenhuma mais estimulante nem mais formosa que a obra educacional da Revolução" - Fidel

VENCEREMOS !!!

21 de dez de 2016

JIMMY CARTER PEDE A OBAMA A LIBERDADE IMEDIATA DE OSCAR LÓPEZ RIVERA


Carter lembrou que, embora Lopez Rivera tenha rejeitado a clemência oferecida em 1999 pelo presidente Bill Clinton, sua decisão foi baseada na oferta de liberdade não incluir dois outros companheiros. (Arquivo / AP)


O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter escreveu ao presidente Barack Obama para pedir a libertação de prisioneiro político Oscar López Rivera e lembrá-lo que ele libertou em 1979 quatro nacionalistas porto-riquenhos que foram condenados por "acusações mais graves."

"Você tem uma trajetória impressionante na concessão de clemência com os que sofrem injustiças graves no nosso sistema legal", especialmente para aqueles que cumprem sentenças desproporcionais para as infrações das normas antidrogas, disse o presidente estadunidense.

Carter lembrou que, embora Lopez Rivera tenha rejeitado a clemência oferecida em 1999 pelo presidente Bill Clinton, sua decisão foi baseada na oferta de liberdade não incluir dois outros companheiros.

Lopez Rivera, que está há 35 anos em prisões estadunidenses, depois de ser condenado por conspiração sediciosa por causa de suas ligações com as Forças Armadas de Libertação Nacional (FALN), é o único "dessa época" que ainda resta na prisão ", disse Carter.

"Em 2011 eu pedi à Comissão de Liberdade Condicional dos EUA para reconsiderar a sua decisão de negar liberdade condicional para López Rivera apesar de pessoas proeminentes pedirem por sua libertação, incluindo o prêmio Nobel Arcebispo Desmond Tutu, o governador de Porto Rico Alejandro García Padilla, a Bancada Hispânica do Congresso, e a Associação de Juristas dos Estados Unidos", disse Carter em sua carta, datada de 13 de Dezembro.

Carter afirmou que os nacionalistas libertados em 1979 e os militantes das FALN e os Macheteros libertados por Clinton em 1999 "provaram ser membros produtivos da sociedade e respeitosos da lei, que residem em Porto Rico e no Continente dos Estados Unidos"

A carta do ex-presidente Carter se torna pública no momento em que há ao presidente Obama apenas 29 dias para decidir se aceita o pedido de clemência apresentado por López Rivera, que completa 74 em 6 de janeiro.

"Lhe sugiro, respeitosamente, frisou o ex-presidente dos EUA ao presidente Obama, que o caso de López Rivera também merece sua atenção."

Fonte: http://www.elnuevodia.com/…/jimmycarterpideaobamaliberarya…/

                                                                                  VENCEREMOS !!!

20 de dez de 2016

RAÚL CASTRO: "FIDEL E CHÁVEZ TRAÇARAM OS OBJETIVOS; CABE A NÓS TRANSFORMÁ-LOS EM VITÓRIA" (VÍDEO)

 
Comemoração dos 12 anos de ALBA em Havana - 14/12/16. Foto: L. Eduardo Domínguez/ Cubadebate

Do Granma

"Querido companheiro Nicolás Maduro, presidente da República Bolivariana da Venezuela;

Companheiros e companheiras venezuelanos e venezuelanas;

Representantes dos países irmãos da ALBA-TCP e outros Estados da América Latina e do Caribe;

Compatriotas:

Eu vou ser muito breve, como normalmente é a maioria dos meus discursos, também neste caso, para não forçar a voz, que tal como eu aprecio a tenho um pouco afetada e, ainda, há muita coisa para falar (Aplausos). Eu dizia que ainda há muito para falar e lutar neste país (Aplausos), por isso a minha rouquidão pode ser permanente.

A história recente da Nossa América nos reúne hoje para comemorar vários eventos:

O 22º aniversário do primeiro encontro entre o comandante Hugo Chávez e o Comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz, ponto de partida de uma amizade e lealdade infinitas entre a Revolução Cubana e a Revolução Bolivariana.

O 16º aniversário da assinatura do Convênio Integral de Cooperação entre Cuba e Venezuela, que estabeleceu as bases de uma relação econômica, comercial e de cooperação, que trouxe grandes benefícios e experiências humanas para ambos os povos.

Ainda, comemoramos o 12º aniversário da Constituição, em Havana, daquilo que foi, primeiramente a Alternativa e, em seguida, tornou-se Aliança Bolivariana para as Américas e Tratado de Comércio dos Povos; uma nova forma de organização para coordenar e promover a cooperação e o desenvolvimento dos Estados membros.

A partir dessas experiências podem ser destacados resultados significativos e eloquentes:

Quatro países foram libertados do analfabetismo e avançaram na educação das suas populações, o que constitui a base inicial para todas as grandes transformações revolucionárias em qualquer sociedade.

Milhões de latino-americanos receberam serviços de saúde gratuitos e mais de 1,7 milhão recuperou a vista.

Um novo tipo de comércio justo e complementar, sem protecionismo começou a nascer.

A Venezuela, com uma atitude altruísta, criou mecanismos de cooperação e comércio solidário, para compartilhar um pouco de sua riqueza em petróleo e promover mudanças socioeconômicas de integração na região, sem as quais muitos países não teriam resistido a crise internacional.

Hoje é imperativo o apelo a todos os povos da América Latina e do Caribe para mostrar solidariedade com essa Venezuela Bolivariana antiimperialista e imensamente generosa, a qual muito apreciamos, neste momento vítima de um grande cerco e uma hostilidade sem precedentes, por parte das forças historicamente hostis ao progresso em nossa região.

Apoiar a Venezuela, em tempos da ofensiva da oligarquia, do imperialismo e do neoliberalismo, também significa lutar pela plena emancipação e a integração da América Latina e do Caribe.

Sermos solidários com a Venezuela envolve estar cientes do que poderia acontecer neste hemisfério, caso prevalecerem aqueles que pretendem reconquistar a imensa riqueza desse país e fomentar o ódio e o confronto, em detrimento da autodeterminação e da paz, algo ao qual se comprometeram aqui em Havana os chefes de Estado da região, em 2014, ao assinarem a Proclamação da América Latina e do Caribe como Zona de Paz.

Solidariedade, consenso nas ideias e unidade de ação é o que precisam agora os povos da Nossa América, nesta época de dificuldades e desafios crescentes.

Fidel e Chávez traçaram os objetivos, as ideias e com seu exemplo imortal indicaram o caminho. Cabe a todos nós converter seus legados na trincheira invencível para defender a Pátria Americana (Aplausos).

Marti disse: 'Diga-me a Venezuela em que posso servi-la: ela tem em mim um filho'. Nesta data memorável nós os cubanos ratificamos: Venezuela, aqui estamos seus filhos!

Muito obrigado (Aplausos)".

Discurso proferido pelo primeiro secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba e presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz, na cerimônia pelo 12º aniversário da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América - Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP), e o 22ª aniversário do primeiro encontro de Fidel Castro com Hugo Chávez. 

Palácio das Convenções, em 14 de dezembro de 2016, "Ano 58º da Revolução".

Assista o vídeo - Raúl Castro: Venezuela, aquí están tus hijos
                                                     

Postado por AF Sturt Silva
Fonte: Solidários a Cuba - https://convencao2009.blogspot.com.br



                                                                                  VENCEREMOS !!!

RAÚL CASTRO: "APOIAR A VENEZUELA É LUTAR PELA EMANCIPAÇÃO DA AMÉRICA LATINA"



Há datas destinadas a mudar o rumo dos povos. Há homens que impulsionam esse movimento e deixam um legado difícil de apagar, apesar do avanço impecável do tempo. Há momentos nos quais o abraço entre dois sonhadores transcende o mero fato para transformar a fisionomia dos povos.

Há 22 anos encontraram-se Hugo Chávez e Fidel Castro. O primeiro deles empolgado diante do gesto de quem considerava seu mentor. O segundo como o pai previsor que enxerga no jovem a esperança da mudança. Juntos encorajaram um projeto que, 12 anos após ter sido criado, deve ser aprofundado, devido à atual conjuntura de ameaças aos processos progressistas, especialmente o iniciado por Chávez na Venezuela.

"É imperioso hoje o apelo a todos os povos da América Latina e o Caribe a serem solidários com essa Venezuela bolivariana e generosa, vítima neste momento de um grande assédio e uma hostilidade sem precedentes, por parte das forças inimigas do progresso em nossa região», assegurou o presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro no ato comemorativo que teve lugar em Havana. Porque «apoiar a nação sul-americana em uma época de ofensiva das oligarquias, do imperialismo e do neoliberalismo, é lutar pela emancipação da América Latina e o Caribe", indicou o presidente cubano no Palácio das Convenções.

Solidariedade, complementaridade, consenso nas ideias e unidade são as palavras de ordem na ofensiva regional que obriga, mais uma vez, a andar em quadro apertado como a prata nas raízes dos Andes. O pensamento dos libertadores é o guia perante o novo cenário e indica o caminho a seguir, o mesmo que aprofundaram Fidel e Chávez. É por isso que «nos cabe a todos fazer de seus legados a trincheira invencível para a defesa da pátria americana», como disse Raúl.

Do outro lado, o continuador da obra de Chávez, o atual presidente da Pátria de Bolívar, Nicolás Maduro, agradeceu a Raúl a quem vê como "o irmão mais velho e um líder protetor de todos os revolucionários e que tem uma sabedoria especial".

Maduro não só denunciou as investidas contra seu país que tentam gerar uma imagem de ingovernabilidade e caos, mas também insistiu na necessidade de desenvolver um modelo econômico regional que indique o rumo do novo começo e seja referente para o bem-estar da Nossa América.

"É preciso desenvolver um projeto financeiro entre nós. É preciso deixar às novas gerações um novo modelo econômico sustentável", sublinhou em seu discurso de quase uma hora.

A única organização que pode fomentar esse objetivo é a ALBA, assegurou o presidente venezuelano, quem se soma à ideia expressa anteriormente pelo presidente cubano de que «nos cabe pôr em nossas costas a mochila de Chávez e Fidel para continuar lutando.

Em outro momento, Maduro agradeceu em nome de seu povo a declaração emitida por ambos os governos e na qual se destaca a profunda convicção humanista da ALBA e seu papel de ator político de vanguarda. Destacou, ainda, o respaldo da Ilha caribenha a essa nação irmã.

No ato também falaram um médico cubano que prestou seus serviços na Venezuela e uma jovem dessa nação formada na Escola Latino-americana de Medicina. Os dois são o exemplo mais palpável do alcance do sonho de duas grandes figuras destas terras: Fidel e Chávez.

Do Granma
Fonte: Olhando para Cuba - http://olhandoparacuba.blogspot.com.br
 
                                                                  VENCEREMOS !!! 

19 de dez de 2016

SÍRIA - CUBA NÃO ENVIA ARMAS, ENVIA REMÉDIOS !

 

Chega à Síria carregamento de vacinas cubanas contra meningite

Um carregamento de medicamentos procedente de Cuba chegou este domingo na Síria, segundo informou o Estabelecimento Público de Comércio Exterior daquele país árabe.

São 293.650 doses de vacinas cubanas contra a meningite avaliadas em 930 mil dólares, como parte do convênio firmado entre Síria e Cuba o qual inclui acordos bancários para as dívidas contraídas nos últimos anos e ao qual se somam outros contratos para a importação de diversos medicamentos de Cuba.

Durante o ano de 2016 também chegou à Síria um carregamento de vacinas contra cinco enfermidades transmissíveis que acometem as crianças.

Cuba e Síria cooperam por mais de 51 anos em âmbito nacional e internacional, colaboração que acontece desde as gestões dos líderes Hafez al-Assad e Fidel Castro. Atualmente os dois países mantém profundos laços de colaboração.

(Con información de Granma)

                                                                  VENCEREMOS !!!

18 de dez de 2016

ADRIANA PEREZ E GERALDO HERNÁNDEZ AGRADECEM A TODOS QUE LUTARAM PARA QUE ESTE MOMENTO SE TORNASSE POSSÍVEL

#SolidaridadVsBloqueo #CubaEsNuestra

Los Cinco

"Gema conheceu seus irmãozinhos. Obrigado uma vez mais a quem nos enviou felicitações e a todos aqueles que lutaram pela liberdade dos Cinco e tornaram possível tanta felicidade!"

Los Cinco reunidos: Adriana, Gema e Geraldo posam com os gêmeos Geraldo e Âmbar.


                                                     VENCEMOS !!! VENCEREMOS !!!

17 de dez de 2016

HÁ DOIS ANOS OS PRESIDENTES RAÚL CASTRO E BARACK OBAMA ANUNCIARAM O INÍCIO DO RESTABELECIMENTO DAS RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS ENTRE HAVANA E WASHINGTON


Dois anos depois deste anúncio muito pouco, ou quase nada, foi feito no sentido de por um fim definitivo ao bloqueio criminoso imposto pelos EUA a Cuba. Uma política hostil, ineficaz e cruel rejeitada por todos os governos do mundo. 

Em mais de meio século de bloqueio, nenhum outro governo estadunidense impôs tantas sanções à entidades internacionais que tentaram estabelecer relações comerciais e econômicas com a Ilha, quanto o de Barack Obama. 

Outro ponto em que também não ouve nenhum progresso nestes últimos dois anos é a questão da devolução da Baía de Guantánamo a Cuba. Área ilegalmente ocupada por uma Base Naval dos EUA onde Washington mantêm um presídio com um centro de tortura.  

Agora, depois de muitos jogos de cena, que inclui um discurso tendencioso durante uma visita a Havana, Obama deixará seu governo sem ter usado todas as suas prerrogativas presidenciais para amenizar o efeito nefasto desta perversidade que sufoca um povo digno e soberano, que apesar das dificuldades impostas pelo bloqueio tem muito orgulho e não abre mão das conquistas e das glórias de sua revolução.

 


 

VENCEREMOS !!!